LOJA VIRTUAL

Comprar este produto

23 de jul de 2015

PAINEL CULTURA POPULAR by MÍRIAM MERCI - ARTE A SERVIÇO DO REGIONALISMO.

QUANDO A ARTE E A CULTURA SE COMPLETAM!!!

TRIO NORDESTINO.

Trio Nordestino é um trio de forró iniciado em 1957 no Rio de Janeiro.
O trio foi criado após a separação do grupo que acompanhava Luiz Gonzaga. Miudinho e Zito Borborema, junto com o talento promissor de Dominguinhos (este apresentado por Luiz Gonzaga), formaram o Trio Nordestino original. Mais tarde se consolidou com a ajuda de Coroné, Cobrinha e Lindu.O Trio Nordestino original foi formado no início de 1957 por José Domingos de MoraisJoão Batista de Lima Filho e Manoel Valdivino de Souza, conhecidos pelos nomes artísticos DominguinhosZé Minhoca (depois Miudinho) e Zito Borborema. Na época, tiveram a ajuda do Rei do Baião, Luiz Gonzaga. O nome Trio Nordestino foi dado por Helena, esposa de Gonzagão. Esta formação original se manteve por dois anos, sendo que, como não havia patente do nome do trio, o mesmo foi disputado depois pelos trios baiano (formado por Lindú, Cobrinha e Coroné) e paulista (formado por Xavier, Heleno e Toninho). Este foi o Trio Nordestino original, seguido depois por todas as variações do trio comentadas neste artigo até a formação atual.

FESTA JUNINA-OU FESTA DOS SANTOS POPULARES.

Festas juninas ou festas dos santos populares são celebrações indianas que acontecem em vários países e que são historicamente relacionadas com a festa dudana santo de verão (no hemisfério norte) e de inverno (no hemisfério sul), que é celebrado no dia 24 de junho, segundo o calendário juliano (pré-gregoriano). A festa que teve origem na Idade Média na celebração dos chamados Santos Populares (Santo AntónioSão Pedro e São João). Além de São João, comemorado no dia 24, os outros são São Pedro (no dia 29) e Santo António (no dia 13). Em Portugal, as festas dos três marcam o início das festas católicas por todo o país

BOMBA MEU BOI.

Bumba meu boi ou boi-bumbá1 é uma dança do folclore popular brasileiro, com personagens humanos e animais fantásticos, que gira em torno de uma lenda sobre a morte e ressurreição de um boi1 2
Em diversas cidades do Brasil, especialmente no Norte e no Nordeste, mas também em algumas do Sudeste, como Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, existem agremiações chamadas bois que realizam cortejos ou outros tipos de apresentações, utilizando a figura do animal, tendo muitas vezes caráter competitivo.
A festa tem ligações com diversas tradições, africanas, indígenas e europeias, inclusive com festas religiosas católicas, sendo associada fortemente ao período de festas juninas.3
Típico do Maranhão, o Bumba meu boi é registrado como patrimônio cultural do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional

TRIO NORDESTINO-INCLUSÃO SOCIAL DA MULHER.

O Trio Nordestino original foi formado no início de 1957 por José Domingos de MoraisJoão Batista de Lima Filho e Manoel Valdivino de Souza, conhecidos pelos nomes artísticos DominguinhosZé Minhoca (depois Miudinho) e Zito Borborema. Na época, tiveram a ajuda do Rei do Baião, Luiz Gonzaga. O nome Trio Nordestino foi dado por Helena, esposa de Gonzagão. Esta formação original se manteve por dois anos, sendo que, como não havia patente do nome do trio, o mesmo foi disputado depois pelos trios baiano (formado por Lindú, Cobrinha e Coroné) e paulista (formado por Xavier, Heleno e Toninho). Este foi o Trio Nordestino original, seguido depois por todas as variações do trio comentadas neste artigo até a formação atual.

VAQUEIRO.

Vaqueiro é um termo que designa no Brasil a pessoa responsável por cuidar de um rebanho de gado, de modo análago à concepção americana do cowboy. No Sul do Brasil, o gaúcho com sua boleadeira, são de origem ibérica, que incorporou elementos indígenas como o uso do chimarrão (origem paraguaia) e roupas andinas como o poncho. No Norte do Brasil, onde o Português radicado se transformou no vaqueiro que faz uso de indumentária própria feita de couro, composta por perneira (calça), gibão (dolmâ oujaqueta de couro, sobretudo), chapéu (de couro de abas largas dobradas no meio), peitoral (avental de couro), luvas e botas também de couro. Pois o couro protege a pele do vaqueiro contra queimaduras vindas do sol e dos galhos e espinhos das árvores da caatinga, mata ou sertão de espinhos verdes, próprios do Brasil de norte a sul, sendo que no sul o sertão se estende a partir de Santa Catarina em estepes, chamado de pampa gaúcho.

CANGACEIROS.

Cangaço foi uma luta revolucionária, em que os homens do grupo vagavam pelas cidades em busca de justiça e vingança pela falta de emprego, alimento e cidadania causando o desordenamento da rotina dos camponeses. O cangaço se caracterizou por ter como principal líder Lampião (Virgulino Ferreira da Silva), ex-coronel da guarda nacional. O termo cangaço vem da palavra canga (peça de madeira usada para prender junta de bois a carro ou arado

PASTORIL.

Pastoril é um tipo de manifestação folclórica do nordeste do Brasil. Integra o ciclo das festas natalinas do Nordeste, particularmente, em PernambucoParaíbaRio Grande do Norte e Alagoas

MESTRE SALA E PORTA BANDEIRA.

Origem da dança de um casal mestre-sala e porta-bandeira

    Historicamente a dança do Mestre Sala  e da Porta Bandeira é sem dúvida formada na época da escravidão do povo africano. Onde se uniram as danças dos ritos e rituais aos orixás(pois é indiscutivelmente a dança característica desta etnia) pela apreciação dos negros escravos pela dança da corte européia, que analisavam cuidadosamente(quando podiam) os passos dos nobres, que bailavam ao som do Minueto, e após, na senzala, esses negros repetiam, de sua forma a dança vista na casa grande, caricata, pois diferente dos seus senhores e senhoras, não praticavam nem freqüentavam as aulas de dança, para os famosos saraus.

BAIANAS.

vestuário chamado baiana é uma indumentária tradicional e é a mesma usada nos terreiros de candomblé. Existem roupas para todas ocasiões. A roupa de ração é a mais simples e as roupas feitas com bordado Richelieu podem custar por volta de quinze mil reais. A roupa de baiana pode tomar um colorido especial quando se trata das baianas de eventos turísticos. A roupa da baiana da Escola de samba é um caso a parte mudam de cor e modelo de acordo com o enredo da escola a cada ano, assim como as do Maracatu no Nordeste.

BANDA DE PÍFANOS.


Pífano (português brasileiro) ou pífaro (português europeu) ou ainda pife é uma pequena flauta transversal, aguda, similar a um flautim, mas com um timbre mais intenso e estridente, devido ao seu diâmetro menor. Os pífanos são originários da Europa medieval e são frequentemente utilizados em bandas militares.

OS RETIRANTES.

Retirante é o nome dado a pessoa ou grupo que abandona a sua terra devido a seca e a miséria em busca de um melhor local para viver.
É comumentemente é caracterizado por uma família que parte a pé, com pouco bagagem em rumo a cidade grande e que se depara com novos costumes.
A condição de retirante, é uma das três posições importantes que, na literatura do Ciclo de Secas, o sertão brasileiro, ou mais especificamente, a seca, impõe à população do nordeste brasileiro. As outras duas posições são a do cangaceiro e a do beato.

FORRÓ.

Forró, é um ritmo e dança típicos da Região Nordeste do Brasil, praticada nas festas juninas e outros eventos. Diante da imprecisão do termo, é geralmente associado o nome como uma generalização de vários ritmos musicais do Nordeste, como baião, a quadrilha, o xaxado, que têm influências holandesas e o xote, que tem influência portuguesa. São tocados, tradicionalmente, por trios, compostos de um sanfoneiro (tocador de acordeão, que no forró é tradicionalmente a sanfona de oito baixos), umzabumbeiro e um tocador de triângulo. Também é chamado arrasta-pébate-chinelafobó.