LOJA VIRTUAL

Comprar este produto

15 de dez de 2015

25 de out de 2015

CULTURA POPULAR INFANTIL by MÍRIAM MERCI A HORA E A VEZ DOS PEQUENINOS!!!!!!!!!


LOBÍSOMEM - 20X20 ACRÍLICA S/TELA

SACI PERERÊ - 20X20 ACRÍLICA S/TELA

VITÓRIA RÉGIA -  20X20 ACRÍLICA S/TELA

NEGRINHO DO PASTOREIO -  20X20 ACRÍLICA S/TELA

A CUCA -  20X20 ACRÍLICA S/TELA

IARA A SEREIA E O BOTO COR DE ROSA -  20X20 ACRÍLICA S/TELA

BOITATÁ -  20X20 ACRÍLICA S/TELA

CULTURA POPULAR by MÍRIAM MERCI EM DESTAQUE

CANGACEIROS - 50X50 ACRÍLICA S/TELA

CAPOEIRA - 50X70 ACRÍLICA S/TELA

LAMPIÃO E MARIA BONITA - 50 X 50 ACRÍLICA S/TELA

FESTA JUNINA - 50X50 ACRÍLICA S/TELA

SERENATA - 40X40 ACRÍLICA S/TELA

PADRE CÍCERO  - 40X40 ACRÍLICA S/TELA

NOSSA SENHORA DE APARECIDA - 40X40 ACRÍLICA S/TELA

Míriam merci, FEIRA INTERNACIONAL CARROUSEL DU LOUVRE-PARÍS

MUSEU DU LOUVRE-PARÍS


MÍRIAM MERCI RECEBENDO CERTIFICADO LOUVRE

PASSEIO PELO LOUVRE-PARÍS

PASEEIO PELO LOUVRE-PARÍS


ATLAS VIOLETA/CARROUSEL DU LOUVRE

CATÁLOGO ARTÍSTAS

CATÁLOGO

SALÕES DE CARROUSEL

PASEIO A TORRE EIFFEL

4 de out de 2015

AUTORA DA LOGO ALFE-COMEMORAÇÕES ALUSIVAS AOS 40 ANOS DE FUNDAÇÃO.

ARTISTA PLÁSTICA MÍRIAM MERCI CRIA LOGO ALFE 40 ANOS.

LOGO ALFE 40 ANOS.

PRESIDENTE DA ALFE SELMA CABRAL/MÍRIAM MERCI/ EX-PRESIDENTE
FÁTIMA DUARTE.

26 de ago de 2015

RIFA DIGITAL KIT: CULTURA POPULAR BRASILEIRA NA FEIRA DE ARTE/LOUVRE/PARIS.

Olá! Sou Míriam Merci, artista plástica mãe, avó, mulher empreendedora. Autora da coleção cultura popular.
Minha arte resgata a cultura através de pinturas originais, que são reproduzidas em uma linha de produtos exclusiva que esbanja brasilidade.

É resultado de 3 anos de pesquisa que renderam importantes reconhecimentos: Até ser nomeada embaixadora da cultura popular do Nordeste.

Fui convidada a  participar da Feira de Arte Carrousel do Louvre de 23 a 25 de Outubro no Museu do Louvre em Paris.

Para isso recorri a este suporte, criei esta RIFA DIGITAL;  http://www.rifadigital.com.br/kit-cultura-popular-by-m-riam-merci 

Espero poder contar com o apoio de todos vocês e com arrecadação necessária está presente neste grandioso evento. 

Muito obrigada a todos!!!

VAMOS LEVAR A CULTURA POPULAR BRASILEIRA NA FEIRA DE ARTE/LOUVRE/PARIS.


 PARTICIPE!: http://www.rifadigital.com.br/kit-cultura-popular-by-m-riam-merci

23 de jul de 2015

PAINEL CULTURA POPULAR by MÍRIAM MERCI - ARTE A SERVIÇO DO REGIONALISMO.

QUANDO A ARTE E A CULTURA SE COMPLETAM!!!

TRIO NORDESTINO.

Trio Nordestino é um trio de forró iniciado em 1957 no Rio de Janeiro.
O trio foi criado após a separação do grupo que acompanhava Luiz Gonzaga. Miudinho e Zito Borborema, junto com o talento promissor de Dominguinhos (este apresentado por Luiz Gonzaga), formaram o Trio Nordestino original. Mais tarde se consolidou com a ajuda de Coroné, Cobrinha e Lindu.O Trio Nordestino original foi formado no início de 1957 por José Domingos de MoraisJoão Batista de Lima Filho e Manoel Valdivino de Souza, conhecidos pelos nomes artísticos DominguinhosZé Minhoca (depois Miudinho) e Zito Borborema. Na época, tiveram a ajuda do Rei do Baião, Luiz Gonzaga. O nome Trio Nordestino foi dado por Helena, esposa de Gonzagão. Esta formação original se manteve por dois anos, sendo que, como não havia patente do nome do trio, o mesmo foi disputado depois pelos trios baiano (formado por Lindú, Cobrinha e Coroné) e paulista (formado por Xavier, Heleno e Toninho). Este foi o Trio Nordestino original, seguido depois por todas as variações do trio comentadas neste artigo até a formação atual.

FESTA JUNINA-OU FESTA DOS SANTOS POPULARES.

Festas juninas ou festas dos santos populares são celebrações indianas que acontecem em vários países e que são historicamente relacionadas com a festa dudana santo de verão (no hemisfério norte) e de inverno (no hemisfério sul), que é celebrado no dia 24 de junho, segundo o calendário juliano (pré-gregoriano). A festa que teve origem na Idade Média na celebração dos chamados Santos Populares (Santo AntónioSão Pedro e São João). Além de São João, comemorado no dia 24, os outros são São Pedro (no dia 29) e Santo António (no dia 13). Em Portugal, as festas dos três marcam o início das festas católicas por todo o país

BOMBA MEU BOI.

Bumba meu boi ou boi-bumbá1 é uma dança do folclore popular brasileiro, com personagens humanos e animais fantásticos, que gira em torno de uma lenda sobre a morte e ressurreição de um boi1 2
Em diversas cidades do Brasil, especialmente no Norte e no Nordeste, mas também em algumas do Sudeste, como Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro, existem agremiações chamadas bois que realizam cortejos ou outros tipos de apresentações, utilizando a figura do animal, tendo muitas vezes caráter competitivo.
A festa tem ligações com diversas tradições, africanas, indígenas e europeias, inclusive com festas religiosas católicas, sendo associada fortemente ao período de festas juninas.3
Típico do Maranhão, o Bumba meu boi é registrado como patrimônio cultural do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional

TRIO NORDESTINO-INCLUSÃO SOCIAL DA MULHER.

O Trio Nordestino original foi formado no início de 1957 por José Domingos de MoraisJoão Batista de Lima Filho e Manoel Valdivino de Souza, conhecidos pelos nomes artísticos DominguinhosZé Minhoca (depois Miudinho) e Zito Borborema. Na época, tiveram a ajuda do Rei do Baião, Luiz Gonzaga. O nome Trio Nordestino foi dado por Helena, esposa de Gonzagão. Esta formação original se manteve por dois anos, sendo que, como não havia patente do nome do trio, o mesmo foi disputado depois pelos trios baiano (formado por Lindú, Cobrinha e Coroné) e paulista (formado por Xavier, Heleno e Toninho). Este foi o Trio Nordestino original, seguido depois por todas as variações do trio comentadas neste artigo até a formação atual.

VAQUEIRO.

Vaqueiro é um termo que designa no Brasil a pessoa responsável por cuidar de um rebanho de gado, de modo análago à concepção americana do cowboy. No Sul do Brasil, o gaúcho com sua boleadeira, são de origem ibérica, que incorporou elementos indígenas como o uso do chimarrão (origem paraguaia) e roupas andinas como o poncho. No Norte do Brasil, onde o Português radicado se transformou no vaqueiro que faz uso de indumentária própria feita de couro, composta por perneira (calça), gibão (dolmâ oujaqueta de couro, sobretudo), chapéu (de couro de abas largas dobradas no meio), peitoral (avental de couro), luvas e botas também de couro. Pois o couro protege a pele do vaqueiro contra queimaduras vindas do sol e dos galhos e espinhos das árvores da caatinga, mata ou sertão de espinhos verdes, próprios do Brasil de norte a sul, sendo que no sul o sertão se estende a partir de Santa Catarina em estepes, chamado de pampa gaúcho.